Sa������������������������������������de

Anunciantes do Jornal


PIMENTA ÁGUA MINERAL

Academia Estação Saúde

Pizzaria Pignoli

Pesquise no Jornal

Sociedades de Bairros

Saiba onde retirar seu exemplar!
Vitor Lourenço

Mais médicos, atendimento com mais qualidade

19/01/2004

Ampliar e melhorar a qualidade do atendimento. Eis um dos maiores desafios enfrentados pelo novo governo.
Já de início promoveu-se expressivo aumento dos investimentos no atendimento básico e no número de agentes do programa Saúde da Família. As campanhas de vacinação alcançaram índices recordes de atendimento e as inovações começam a ser implantadas, em iniciativas como o Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), que levará 800 ambulâncias com serviço de UTI móvel a todo o país.

Mais equipes, mais agentes. O Programa Saúde da Família ganhou mais 2 mil equipes e mais 7.300 Agentes Comunitários de Saúde foram contratados. Cerca de 94 milhões de pessoas são atendidas ou 53,8% da população. Foram montadas mais 1.617 equipes de Saúde Bucal, que atendem mais de 32,4 milhões de pessoas. Aumentou em 20% o valor do incentivo para implantação, pelas prefeituras, de equipes de Saúde da Família, o que significa mais R$ 368 milhões de um total de R$ 1,152 bilhão.

Ontem x Hoje.
Evolução do Programa Saúde da Família.

2002 - 2003

Equipes 16700 18700

Agentes Comunitários de Saúde
175.450 182.750

Equipes de Saúde Bucal
4.261 5.878

Novidade
Lançado o Projeto de Expansão da Saúde da Família em 196 municípios com mais de 100 mil habitantes, uma maneira de ampliar o atendimento em grandes centros.

Menos diferenças regionais. Com a nova política para o setor, as verbas foram redistribuídas. Buscou-se diminuir as diferenças regionais. Estados e municípios receberam R$ 6,5 bilhões (25% a mais do que em 2002), para atenção ambulatorial especializada e hospitalar.

Cresceu 10%. Passou de R$ 3,3 bilhões para R$ 3,6 bilhões a transferência de recursos para estados e municípios – recursos 10% superiores aos do mesmo período de 2002, para o fortalecimento da atenção básica.

Ontem x hoje – combate à aids.

2002 - 2003

Distribuição de preservativos
148 milhões 309 milhões

Distribuição de anti-retrovirais
75 mil 86 mil

Atendimentos
125 mil 140 mil

Epidemias. Redução de 62% dos casos de dengue no país quando comparados ao ano de 2002. Foram contratados 8 mil agentes de campo (mata-mosquitos) para combater a dengue e outras epidemias/endemias.

Foram distribuídas 1,1 milhão de tampas e 3 milhões de capas para vedação de caixa-d’água, como parte de uma ação preventiva.

De Volta para Casa, assistência para portadores de transtornos mentais. Foram repassados, em 2003, R$ 12 milhões a estados e municípios para consolidar a rede extra-hospitalar de atenção psiquiátrica e reduzir leitos em manicômios. Os procedimentos ambulatoriais passaram de 154.495 por mês em 2002 para 274.478 em 2003, aumento de 77,6%.

O governo criou o Auxílio Reabilitação Psicossocial (R$ 240,00 mensais por pessoa), destinado a ressocializar portadores de transtornos mentais (1.700 beneficiados), e lançou o programa De Volta para Casa, assistência extra-hospitalar a 14 mil pacientes.

Mulher: humanização do pré-natal. O Programa de Humanização do Pré-Natal e Nascimento foi ampliado, com adesão de 298 municípios (total: 4.284), reativação da Comissão Nacional de Morte Materna e implantação de notificação compulsória da morte materna.

Até outubro, foram realizados 8,7 milhões de exames para prevenção e detecção do câncer cérvico-uterino e uma média de 171.966 exames mensais de mamografia, um aumento de 13% em relação à média mensal registrada em 2002.

Secretária de Saúde do Governo Brasileiro

Indicar esta página à um amigo

 

Matérias Anteriores:

 

Jornal Bairros em Notícia

Fone (19) 3233.3201 ou (19) 9128.0775
contato@bairrosemnoticia.com.br
Caixa Postal 756 - CEP 13001-970 - Campinas - SP